Atenção com o sistema de arrefecimento

É comum entre os motoristas a preocupação com as luzes de sinalização, com os pequenos arranhões e com as mossas na lataria dos carros. Contudo, muitas vezes os cuidados com o motor são deixados de lado.É o caso, por exemplo, do sistema de arrefecimento, responsável por manter a máquina do veículo em perfeitas condições, evitando danos que possam ser causados pelo superaquecimento.

Apesar de pouco divulgada, a manutenção desse sistema é fundamental para a preservação do carro e evita dores de cabeça. A falta de cuidados pode causar desde a explosão de mangueiras até a queima de cabeçotes.

Para evitar riscos, as principais medidas a serem tomadas são: manter elevado o nível de água e verificar constantemente o líquido anticorrosivo, responsável por deixar a temperatura abaixo dos 100º Celsius, ponto de ebulição da água.

“O sistema tem de estar sempre limpo, pois evita problemas posteriores e faz com que o motor funcione bem. O fluído que se mistura na água (anticorrosivo) tem de ser verificado sempre. Se ele não estiver em dia, pode gerar ferrugem, que se mistura na água e contamina o sistema. Além disso, sem esse líquido a água pode atingir até 120º graus. Se isso acontecer, o motor sofre danos e pára de funcionar”, alerta Harley Bueno, diretor de segurança veicular da Assessoria de Engenharia Automotiva (AEA).

Mauro Lopes, chefe de oficina da Simcauto Mecânica e Representações de Botafogo, no Rio de Janeiro, acrescenta um importante detalhe às recomendações de Harley.

“É ideal que se use água destilada, que pode ser comprada nas farmácias, ou, pelo menos, filtrada. Isso ajuda a preservar o sistema, que é bem complexo, pois tem muitos componentes. Não se deve usar água da torneira. Ela faz com que o sistema se torne menos durável. Tomar essa precaução pode fazer uma grande diferença após alguns anos de uso do motor”, explica.

Lopes lembra ainda a importância de se trocar o chamado “líquido refrigerante” a cada 50 mil quilômetros rodados. “A exceção fica por conta dos carros mais novos da General Motors, que em alguns casos podem esperar até os 90 ou 100 mil quilômetros”.

Saiba mais sobre o sistema de arrefecimento

– O sistema de arrefecimento  é o que controla a temperatura do motor, mantendo-a ideal e evitando, portanto, qualquer possível dano. Três componentes são fundamentais para o perfeito funcionamento do sistema: a válvula termostática, o termo-interruptor e o sensor de temperatura. A manutenção se torna necessária quando o nível do líquido de arrefecimento cai constantemente, o consumo de combustível aumenta de forma excessiva, a temperatura está muito alta ou baixa e o motor apresenta queda na potência.

Conheça os componentes do sistema e veja como funcionam:

Bomba d’água: responsável pela circulação do líquido de arrefecimento pelo sistema.

Eletro ventilador: reduz a temperatura do líquido de arrefecimento no radiador.

Mangueiras: conecta os componentes do sistema.

Radiador:responsável pelo câmbio térmico do líquido de arrefecimento.

Sensor de temperatura: monitora a temperatura de trabalho do líquido de arrefecimento do motor e informa o módulo de injeção eletrônica.

Tanque de expansão: controla o nível do sistema e abastece o líquido de arrefecimento.

Tampa do tanque de expansão: controla a pressão do sistema.

Termo-interruptor (cebolão): é responsável pelo acionamento da ventoinha.

Válvula termostática: faz com que o motor atinja rapidamente a temperatura ideal de trabalho.

Líquido de arrefecimento: controla a refrigeração, conserva as mangueiras, mantém a lubrificação da bomba d’água e conserva o sistema livre de óxidos e corrosão.

Atenção com o sistema de arrefecimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *